FETARN participa de intercâmbio Internacional promovido pela Coprofam e Contag entre Cooperativas apoiadas pelo projeto FO4-LA

168

 

No último domingo (28) a Contag e a FETARN receberam em Natal uma delegação internacional composta por membros de cooperativas participantes do projeto FO4-LA, além de sindicatos afiliados à COPROFAM. Os membros vieram de países como Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai. A delegação chegou ao Rio Grande do Norte para participar de um intercâmbio internacional com as cooperativas do Nordeste, apoiado pelo projeto FO4-LA, financiado pela União Europeia.

O intercâmbio teve início em Natal, na segunda-feira (29), com uma visita ao Mercado da Agricultura Familiar. A delegação foi recepcionada pela FETARN e pela direção da Unicafes/RN. Durante a visita, os membros conheceram de perto as instalações do mercado e dialogaram com os permissionários que comercializam seus produtos nas áreas de frutas, orgânicos, hortifrútis, produtos beneficiados, artesanato e praça de alimentação. Após conhecerem todos os espaços do Mercado da Agricultura Familiar, os visitantes participaram de uma mesa de diálogo com as entidades presentes, com o objetivo de compartilhar informações, realizar apresentações institucionais, trocar experiências e impressões sobre a visita.

O Coordenador Regional Nordeste da Contag, Manoel Cândido da Costa, fez um breve histórico sobre o Mercado da Agricultura Familiar do RN, destacando sua relevância nas lutas travadas pelo Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR). Ele ressaltou que essas lutas, junto aos governos federal e estadual, duraram mais de 16 anos para tornar o mercado uma realidade inédita no estado e uma das poucas entre as centrais da agricultura familiar do Brasil na época. Manoel afirmou que a luta do MSTTR foi justificável e necessária devido à importância do Mercado da Agricultura Familiar enquanto canal de comercialização para os agricultores familiares, diante dos desafios enfrentados pela categoria para atuar nos espaços de mercado e atender à demanda por alimentos saudáveis e em quantidade.

O Presidente da FETARN, Erivam do Carmo Silva, falou sobre a parceria importante que vem sendo mantida entre a FETARN e a Unicafes. Essa aliança busca favorecer processos de beneficiamento e comercialização, suprindo, aos poucos, parte da falta de investimentos em infraestrutura produtiva, beneficiamento, armazenamento, transporte e preços remuneradores. Além disso, busca facilitar o acesso a políticas públicas, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), o Programa Estadual de Compras Governamentais da Agricultura Familiar e Economia Solidária (PECAFES) e outros programas sociais, como saúde, educação e previdência. Erivam ressaltou os grandes desafios que ainda existem para suprir a falta de uma renda que garanta uma vida digna no campo, dificultando a permanência das famílias na zona rural, mas destacou que novas perspectivas estão surgindo.

A representante da Unicafes Nacional e do RN, Fátima Lima, fez uma apresentação institucional do Mercado da Agricultura Familiar, fornecendo detalhes sobre sua estrutura organizacional e logística, além de destacar as experiências com vendas online, vendas em atacado, vendas para as forças armadas e acesso ao PAA, PNAE e PECAFES. Fátima Lima também apontou os desafios que ainda precisam ser enfrentados, como a dificuldade de garantir assistência técnica para todos os cooperados, a falta de capital de giro para as cooperativas, a dificuldade de manter a regularidade na oferta de produtos e problemas recorrentes na adequação sanitária de alguns produtos, expansão da área comercial e melhorias na gestão.

A Secretária de Política Agrícola da Contag, Vânia Marques, reforçou a importância do intercâmbio, pois permite aos visitantes e gestores das cooperativas terem uma visão diferente sobre a produção, beneficiamento e comercialização. Vânia enfatizou a necessidade de acesso aos canais de comercialização por parte das cooperativas, mencionando que no Rio Grande do Norte é possível observar experiências desses canais que permitem uma melhor inserção e divulgação dos produtos, que chegam aos consumidores por meio de lojas próprias e espaços de comercialização, identificados por embalagens padronizadas e certificação orgânica, o que é extremamente importante.

O Vice-presidente da Contag e Presidente da COPROFAM, Alberto Broch, falou sobre a importância do intercâmbio, destacando que ele é uma continuidade de outros que já ocorreram com outros países, como o último no Uruguai. Ele ressaltou a troca de experiências e informações entre as pessoas envolvidas no projeto desde o início, incluindo técnicos cooperados e lideranças de ambas as organizações locais dos países abrangidos pelo FO4-LA (Paraguai, Brasil, Peru e Bolívia), bem como em outros países onde a COPROFAM possui sindicatos filiados. Esse intercâmbio é uma grande oportunidade para conhecer as cooperativas, suas estruturas, modelos de gestão e processos de organização, além de compartilhar resultados e impactos de investimentos, estimulando e ampliando os conhecimentos entre esses países e cooperativas.

Na terça-feira, dia 30, em Mossoró, a delegação visitou a sede da Cooperxique, conhecendo sua estrutura e participando de uma roda de diálogo e apresentações sobre a organização, gestão, linhas de ação e principais resultados do plano de negócio apoiado pelo projeto FO4-LA. Foi feita uma apresentação institucional da Cooperativa, destacando sua capacidade de comercializar produtos agroecológicos e sua forma de fomentar e articular ações em rede, baseadas nos princípios da agroecologia, feminismo e economia solidária. Sobre a comercialização, foram detalhadas as participações nos mercados institucionais, como o PAA, PNAE e PECAFES, como forma de viabilizar a venda da produção de diversos agricultores familiares. Foi destacado o PECAFES, que durante a pandemia conseguiu adquirir cerca de 10% a mais do que os 30% obrigatórios da agricultura familiar. A equipe da Cooperxique falou sobre a entrega de equipamentos e tecnologias voltadas para a agricultura familiar, como motocultivadores, roçadeiras e tecnologias que poupam mão de obra. Eles também mencionaram o processo de certificação participativa, que envolve a ampliação da produção de alimentos orgânicos destinados à comercialização na alimentação escolar e outros mercados.

Na parte da tarde, a delegação se dirigiu ao Assentamento Mulunguzinho, na zona rural de Mossoró, para visitar a unidade de beneficiamento de polpa de frutas, que realiza o processamento das frutas produzidas nos quintais produtivos. Houve uma roda de apresentações e relatos rápidos sobre as experiências de cada país, com destaque para os relatos das mulheres do Assentamento Mulunguzinho, que compartilharam as transformações econômicas, socioambientais e políticas ocorridas na região. Elas detalharam o enriquecimento dos quintais para aumentar a produção de alimentos, a criação de uma horta coletiva no assentamento, a formação de um grupo de apicultoras e a produção de mel e polpas de frutas. Também foi mencionado o sucesso do “Gold da Paz”, um grupo autogestionado de microcrédito comunitário protagonizado por mulheres, que se reúne semanalmente em assembleia para administrar coletivamente suas poupanças e deliberar sobre questões relacionadas ao funcionamento do grupo. Em seguida, foi realizada a visita à unidade de beneficiamento de polpa de frutas, na qual foi apresentado todo o processo de funcionamento, etapas de higiene pessoal no ambiente de trabalho, gestão da unidade e outros detalhes.

As atividades do intercâmbio finalizaram hoje (31) em Mossoró ao meio-dia, após visita a um jovem produtor de hortaliças orgânicas, onde toda a delegação foi recebida e teve a oportunidade de conhecer a experiência bem-sucedida.

Gilberto Silva – Assessor Regional Nordeste da CONTAG

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here